3 de mai de 2007

SAUDADE

Vem, ó saudade, toma-me em teu carro,
Em teu regaço leva-me dormindo,
Entre fagueiros sonhos embalado
Por esse espaço infindo.
Leva-me além daquele erguido monte,
Que lá campeia quase que sumido
Nas brumas do horizonte.

Leva-me além; - oh! muito além ainda;
Do eterno plaino largo campo fende;
E entre escalvadas serranias broncas
O carro teu suspende.
Aí nas abas de sombrio morro
Abate o vôo, e deixa-me nos braços
Daquela por quem morro
(Bernando Guimarães, 1858)

3 comentários:

Anônimo disse...

negro drama _!_

belo texto...!!!

soh achei um pouco afeminado...!!!

vc tah precisando beber mais...!!!

Rodrigo Araujo disse...

Show o texto.

E aí Lestat, quarta-feira o Dagoberto tem que dar show no Olimpinico. O GFPA anda fazendo horrores com os times do interior por estas bandas, tá na hora de um grande dar um banho de água fria nestes caras.

Dá-lhe São Paulo.

PS: é brabo o cara não ter time para torcer, hehehehe.

Ropasan disse...

Bicha