9 de mai de 2007

QUEM TEM C... TEM MEDO

Depois de ser acusada de vender liminares que autorizam o funcionamento de alguns bingos, a Excelentíssima Desembargadora Federal Alda Basto recebeu uma "luz divina" e acabou modificando sua posição, proibindo a atividade das casas de bingo.
Ontem mesmo o Jornal Nacional exibiu a gravação de algumas conversas telefônicas, nas quais foram negociados os preços das liminares entre o dono de um bingo e a Excelentíssima Desembargadora.
Não vou dar minha opinião - já que niguém a pediu - nem sobre a atitude da Desembargadora, nem sobre os jogos de azar no Brasil.
Verifiquem vocês mesmos alguns detalhes do caso no link abaixo. Creio que alguns fatos falam por si só e não precisam de um blogueiro bocudo como eu pra dramatizar.
Opinem, por favor.

2 comentários:

SUIL disse...

São Paulo 0 x 2 Grêmio...AHHHHHH

Cabelo disse...

Inicialmente, por oportuno, congratulo Suil pelo comentário, o qual assinto. Aliás, o tema ali abordado, sorrateiramente, foi relegado por Lestat.
___________________________________

Ademais, assim como os serviços postais, os jogos de azar tendem ser monopolizados pelo Estado, que, ao que parece, tem o legítimo e exclusivo direito de angariar o numerário proveniente daqueles, sendo absolutamente injusto dividir, com os bingos, o dinheiro que os cidadãos da nação ali investem, aliás, por mera deliberação. E a palavra é esta mesmo: investimento, uma vez que aplicam uma módica quantia visando outra muito superior. E isto deve-se a ousadia destes investidores, pois, sabem que o dinheiro aplicado na poupança rende pouco, quase nada. Assim, procuram investimentos de maior risco que, entretanto, podem proporcionar um lucro maior. Em remate: investe, aposta, arrisca quem quer.