30 de mai de 2008

PROVOCAÇÃO

Texto de autoria desconhecida, postado por várias blogueiras mal amadas (argh!)
"RELATO DE UM HOMEM:
Tudo bem… Queremos meninas legais, sexy, saradas, bonitas, inteligentes e boazinhas… Muito falar, pois quando aparece uma assim, de bandeja, a primeira coisa que a gente pensa é: “Oba, me dei bem”. Ficamos com elas uma vez, duas. Começamos a pensar que essa é a mulher que as nossas mães gostariam de ter como noras. Se sair um relacionamento, vai ser uma relação estável. Você vai busca-la na faculdade, vocês vão ao cinema, num barzinho, vai ter sexo toda semana…
Tudo básico, até virar uma rotina sem graça… Você vai olhar os caras bem vestidos e bem humorados indo pra noite arrasar com a mulherada e vai morrer de inveja. Vai sentir falta de dar aquelas cantadas infalíveis ou de dar aquela dançadinha mais provocativa na pista… Você pensa: “Acho que não estou pronto pra isso, pra me enclausurar pro resto da vida neste relacionamento. E a boa menina se transforma numa mala e aos poucos vai surgindo um nojo dela, uma aversão. Quando você vê o nome dela no celular, não dá vontade de atender… Já era.
Daí aquela promessa de vida estável vai por água a baixo, se a menina não se dá conta, a gente começa a ser grosso, muito grosso. E a pobre menina pensa: “O que eu fiz?” Coitada, ela não fez nada, a culpa é nossa mesmo…
Aí a gente volta pra nossa vidinha, que a gente odiava até semanas atrás. A gente não vê a hora de sair e arrasar na noite ou pegar aquela mulher gostosona que sempre quisemos.
GRANDE ILUSÃO: Você chega em cada depois da balada, sozinho e fica tentando descobrir porque você não está satisfeito. De repente foi porque a menina da night, a linda, gostosa, misteriosa, fico contigo, mas nem se quer pediu o número do teu telefone.
FRUSTRAÇÃO: Daí, por mais que não queira, você pensa na sua menina boazinha que você deixou pra trás… Ela podia ter seus defeitos, mas era uma menina legal, que ficaria ao seu lado te dando valor…
Enquanto isso a boa menina, chateada, lesada, custa a entender o que ela fez pra ter se afastado dela… Daí essa dúvida vira ANGÚSTIA, que vira RAIVA. Daí a menina manda tudo a PUTA QUE PARIU! Não quer mais saber de nada, só de sair, zuar e beijar outros caras. Resolve não se envolver mais pra não sair lesada ou chateada… Muito bem, acabamos de criar uma MONSTRA.
O tempo passa e a gente continua na mesma… Volta a reclamar da vida e das mulheres. Elas só querem as coisas com homens cachorros e não estão nem ai pra nós… Ou será que nós que fomos os cachorros? Elas são assim por culpa nossa. A mulher da night de hoje era a boa menina de outro homem ontem e assim sucessivamente… Provavelmente, essa nossa ex-boa menina, deve estar enlouquecendo a cabeça de outro homem por aí… E eu perdi para sempre, ela virou uma mulher enlouquecedora e a encontrei na balada e ela?
Nem olhou pra mim (mas estava mais linda do que nunca!)”


Comentário deste blogueiro (bem amado):

Já namorei garotas boas e honestas que, mesmo revoltadas e indignadas com meus inúmeros golpes, permaneceram boas e honestas. Já as vadias que eu tentei namorar, continuam vadias. O caráter não se deforma com as dores e desilusões da vida. Muito pelo contrário, ajuda-nos a lidar com elas e se fortalece ainda mais quando posto à prova. Algumas mulheres tem, outras não.

19 de mai de 2008

A VIDA IMITA A ARTE

Nesse fim de semana eu assisti ao filme Terapia do Amor, com Uma Thurman e Meryl Streep. Eu já havia assistido uma vez e até havia gostado, mas dessa vez foi muito mais divertido e até achei o filme bem inteligente e sensível. O filme fala de uma mulher (Uma Thurman) de 37 anos que se envolve com um rapaz de apenas 23 (Bryan Greenberg). Ela passa então a tratar do assunto com sua terapeuta (Meryl Streep), que coincidentemente é a mãe neurótica do rapaz. Por razões óbvias, pessoais e ultraconfidenciais, identifiquei-me muito com o filme.
Mas o que rendeu este post não foi o filme, mas sim um dos personagens. O jovem amante da personagem de Uma Thurman tem um amigo muito engraçado (Jon Abrahams), que tem inúmeros problemas de relacionamento. Ele conhece garotas, sai com elas, mas não consegue mante-las. É aí que ele toma uma atitude genial: no dia seguinte ao fora, ele vai até a porta da casa da garota, toca a campanhia e, quando ela abre a porta, ele pega uma torta e ZAM...joga bem no meio da cara da garota e sai correndo. Ele deixa, inclusive, um táxi esperando por perto para auxilia-lo na fuga. Recomendo que assistam o filme só por causa desse personagem, que realmente é muito cômico, mas o resto do filme também vale muito a pena.
Da primeira vez que assisti esse filme, não tinha dado tanta atenção ao rapaz sociopata e fiquei só babando na Uma Thurman. Dessa vez, como não estava com saco pra clima romântico, acabei dando boas risadas com o moleque da torta e, indiretamente, aprendi uma nova e divertida técnica de retaliação aos foras sofridos.

13 de mai de 2008

PINGÜIM DE CU É ROLA

Bar do Português serve o melhor chope do Brasil e recebe prêmio nos E.U.A.

Por Renato Cardoso

(...) E não é que é verdade. E não é que o Bar do Português foi mesmo eleito o que serve o melhor chope do Brasil. Agora é oficial e veja o tamanho da premiação.
Para confirmar definitivamente a eleição, seus proprietários estarão recebendo o prêmio nesta, a convite da AMBEV, na "Strategic Forum PepsiCo FoodService LAB, New York - USA", de 14 a 16 de maio e assim participando desse evento e conhecendo a sede mundial da Pepsico, em Chicago - USA (...)
Comentário do blog: Agradeçamos a Fernando e Paula (proprietários do Bar do Português), que conseguiram se destacar pela qualidade oferecida, mesmo tendo uma clientela tão chinfrim.

5 de mai de 2008

DOIS TEMAS NUMA IMAGEM



A imagem foi extraída do Kibe Loco. Podem criticar minha falta de criatividade, mas eu confesso que não conseguiria fazer uma piada tão boa e oportuna.