29 de set de 2007

Dando a volta por cima...

Agora chega. Todo mundo tem limite e definitivamente já faz tempo que eu ultrapassei o meu. Agora é cada um por si e Deus por todos.

Quem não entendeu esse post não precisa ficar encucado. Ele tem destinatário específico.

28 de set de 2007

Sacodindo a poeira...

É impressionante como uma postura adulta, um comportamento austero e principalmente um corpo esbelto deixam maluquinhas as solteironas. Eu - que há menos de um mês não passava de um farrapo de gente, jogado às traças e perdido na bebedeira, ao nível de ser desprezado até por programadoras - descobri ontem que ainda sou um bom partido. Não que eu concorde com tal fato, mas pelo menos foi o que consegui presumir após o agradável encontro que tive ontem à noite, com uma mocinha deveras interessante.
Minha companheira conversou, riu à beça e até ousou beber um pouco de vinho. Falamos de cinema, música, livros e ambições profissionais. Esforcei-me pra deixar uma boa impressão e acho que consegui. Fiz a barba, vesti-me adequadamente e até lavei o carro. Nada daquele velho tênis e boné que normalmente me acompanha. Trajei-me de acordo com a ocasião.
Acho que valeu a pena, porque prendi a atenção da guria a noite toda e até percebi alguns flertes ao meu redor. Essa mulherada anda mal amada mesmo. Se a gatinha tivesse me visto há um mês nunca se interessaria por mim. Mas o que interessa é que agora eu sou um bom par e minha auto estima só tende a subir.
Um professor das antigas me disse uma vez: "toda água corre em direção ao mar". Depois de quase dez anos, acho que entendi o recado e agora tenho certeza absoluta que qualidade só atrai qualidade e defeito só atrai defeito.
Então é assim que vai ser. Vou me reciclando e me melhorando a cada dia para que coisas boas e, principalmente, pessoas interessantes se sintam atraídas por mim.
O desfecho do meu encontro eu prefiro não contar, mesmo porque seria uma indelicadeza de minha parte.

18 de set de 2007

Um Venezuelano muito louco

Galera, vejam só que absurdo.
Um Venezuelano de 33 anos sofreu um acidente numa rodovia e foi dado como morto. Chegando no necrotério pra fazer a autópsia, no momento da primeira incisão, o morto começou a sangrar. O legista, desesperado, iniciou a costura da incisão, quando surpreendentemente o morto acordou reclamando de dor.
A esposa do morto-vivo estava aguardando pra identificar o corpo e acabou vendo seu marido caminhando pelo corredor do necrotério.
Agora imaginem só a correria que deve ter ocorrido no necrotério quando viram um morto andando e falando logo após o início da autópsia. Deve ter sido algo digno de um filme de terror, ou comédia.
Alguém aqui me disse que na série Lost, o personagem de Rodrigo Santoro foi picado por um mosquito e o veneno do bicho o paralisou totalmente, levando todos a crer que havia morrido, reanimando-se apenas durante o seu sepultamento, ou seja, tarde demais.
Pelo menos, esse Venezuelano conseguiu acordar antes de abrirem ele inteiro na mesa da autópsia.
P.S.: O termo técnico correto é necrópsia, mas eu usei a palavra autópsia pra não dificultar a leitura de quem não sabe disso. Agora sabem.

2 de set de 2007

CORINTHIANO???

Já faz algum tempo que eu venho dizendo que o Leandro, segundo atacante do São Paulo Futebol Clube é ruim de bola e corinthiano.
O problema é que a cada jogo, o cara joga mais e toma uma atitude diferente pra provar à torcida que é um São Paulino.
Para mim já basta. Eu acredito. O LEANDRO É SÃO PAULINO!!!
Pelo visto, nem todo amor é eterno. O amor não correspondido, ou não recompensado, enfraquece-se e some. Apaixonar-se novamente por outro time é só questão de tempo. No caso do São Paulo Futebol Clube, é uma questão de aptidão. E depois de dois anos, o Leandro enceradeira (segundo Armand) provou seu valor e seu amor pelo Tricolor do Morumbi.
Seja bem vindo à nata, Leandro, honrado atleta. A sua vibração, dedicação e categoria o qualificam como um São Paulino de verdade, ainda que venha a jogar por outro clube no futuro.