21 de jun de 2007

MIJADO À LUZ

Desculpem a demora pra postar. Pra falar a verdade, eu havia abandonado o blog mesmo, ainda que temporariamente. Ando muito atarefado no trabalho e, confesso, sem nenhuma inspiração pra postar.
Mas hoje logo ao acordar, peguei o finalzinho de uma reportagem no programa da Ana Hickman na Record (é...eu acordo tarde e daí?), que mostrava o caso de uma mulher que descobriu que estava grávida apenas no momento do parto. É isso mesmo...parece mentira, mas não é. A vagabunda foi dar uma mijada no banheiro de sua casa, quando inexplicavelmente deu à luz seu quarto filho. Aí, ao ver o rebento ali, saindo do meio de suas pernas, ficou desesperada. Saiu correndo pro hospital mais próximo, carregando a criança ainda conectada ao cordão umbilical (que nojo!).
Como todos vocês já sabem, não sou de fazer julgamentos e, por isso mesmo, nem vou falar o que penso dessa vadia desalmada e sem juízo, que não prestou sequer pra perceber que não menstruava há um tempão.
Então, vou me ater apenas à qualidade da Saúde Pública Brasileira, porque a vagabunda teria ido a um posto de saúde uma semana antes, onde realizou exames - de gravidez, inclusive - que não indicaram qualquer irregularidade.
Acho que toda essa incompetência da saúde pública deve ser fruto de um programa secreto de controle de natalidade e redução de custos, pois a vadia já tinha 03 filhos menores e cada um deles recebe atualmente o valor mensal de R$ 95,00 do Bolsa Família. Pois é, agora são 04 pro governo sustentar.
Vejam mais em:

2 comentários:

Armand disse...

Olha a cena:
- Vai Mija ou Vai Caga?
- Tava pensando em da uma Mijada
- Lá, Lá Lá... Ô mijada boa... Arri egua o que porra é essa boiando n´agua?
- Acode, Acode!!!
- Mais que porra ta acontecendo aqui dona?
- Ai seu moço, acodi eu qui achu que pari...

Só no Brasil...

Mariana Melo disse...

Lestat,

Não sei se serão 4 mesmo - afinal, se não me falha a memória, o Bolsa Família só sustenta até três filhos. Mas tu bem sabes minha opinião sobre tal programa.

Acho que definiste bem tal mulher - "vadia desalmada e sem juízo". Chocante.

Bom saber que gostastes do poema, aliás.

Abraços,

Mariana