6 de jul de 2011

CHICO MACONHA, MUITO PRAZER



(...) A investigação se baseia no depoimento de sete moradores do município que afirmam ter testemunhado os crimes. Entre eles, estão os irmãos Carlos Fabiano e Leandro Santos Lopes. Ambos atuaram como cabos eleitorais do então candidato a prefeito pelo PDT em 2008 e confessaram ter distribuído os entorpecentes em troca de votos para ele. Segundo Carlos Fabiano, a iniciativa foi fruto de uma sugestão feita por um grupo de eleitores usuários de drogas e prontamente aceita pelo comando da campanha de Tavares. "As drogas nos chegavam em carros da prefeitura, que nunca eram parados em blitze", relatou.
Seu irmão, Leandro, que assume ser viciado em entorpecentes, contou que recebia seu pagamento em pedras de crack. Segundo ele, de uma só vez, ganhou setenta pedras. Carlos Fabiano afirmou a polícia que havia recebido do comando da campanha do prefeito a promessa de que seu "trabalho" lhe renderia um cargo na administração, em caso de vitória do candidato. Procurado pela VElA, o prefeito Tavares declarou não saber de nada: "Não fui citado nem intimado sobre esses assuntos. Desconheço-os totalmente". Os promotores devem encaminhar o resultado das investigações à Polícia Federal nesta semana. (...)

Nenhum comentário: