7 de jun de 2010

PRIMEIRO MUNDO

Pesquisadores do sul do país encontraram uma forma de gerar energia elétrica a partir de uma fonte inesperada: a lama que se deposita no fundo do mar.

Cerca de três mil navios circulam por ano no Porto do Rio Grande. Para garantir esse movimento, embarcações cavam buracos debaixo d’água e sugam a areia para aumentar a profundidade do canal.

Esse trabalho tem que ser feito todos os anos. Ao todo, são retirados um milhão e meio de metros cúbicos de material. Todo o lodo é jogado fora. Um desperdício que os cientistas da Universidade Federal do Rio Grande querem acabar.

“Vimos o potencial dessa lama como substrato, como matéria-prima pra gerar energia elétrica”, explica a pesquisadora da FURG, Christiane Ogrodowski.

A lama contém altas concentrações de uma bactéria conhecida como micróbio elétrico. Ela se alimenta de restos de peixes, algas e vegetais que estão na lama. No final da refeição, produz energia elétrica, liberada no meio-ambiente em forma de pequenas partículas chamadas de elétrons.

Nenhum comentário: